15º CENSO IMOBILIÁRIO 2013: Aumento no estoque e queda nas vendas mostram novo cenário vivido pela construção civil em Bento

Quarta-Feira, 20 de novembro de 2013

Com uma representatividade histórica de 90,5%, pesquisa realizada pela Ascon Vinhedos apresenta nítida transformação no consumo de imóveis na cidade


O mercado imobiliário de Bento Gonçalves mudou. O 15º Censo Imobiliário, realizado pela Ascon Vinhedos, levando em consideração o período de agosto de 2012 a julho de 2013 em relação ao mesmo intervalo anterior, apresenta um novo cenário. Com uma representatividade nunca antes alcançada, a pesquisa expõe uma realidade que configura uma nítida transformação no consumo. Diferente da edição anterior, que apresentava um crescimento de 5% nas vendas, o censo de 2013 mostra aumento no estoque, diminuição das unidades vendidas e também da velocidade de vendas, principalmente nas faixas populares. Os dados do censo foram apresentados ontem à noite no Salão de Eventos do CIC/BG.


As 1.216 unidades existentes em agosto de 2012, subiram para 1.478 no mesmo mês deste ano, um crescimento de 21% no estoque. Do total, 98,3% são apartamentos, sendo 857, mais da metade, de dois dormitórios. A maior parte do estoque – 975 unidades – está em construção. A pesquisa também mostra que houve uma redução de 31% nas vendas, caindo de 1.820 unidades vendidas no ano passado para 1.253 este ano. Esta diminuição é mais significativa em imóveis populares, o que demonstra que demandas apresentadas, principalmente, nas faixas populares, foram praticamente supridas trazendo novas necessidades. Imóveis transitórios passaram a ter maior destaque devido à migração dos compradores. Isso explica a diminuição das unidades vendidas e da velocidade de vendas especialmente nas faixas populares.


Quase 40% dos imóveis vendidos tem um valor venal inferior a R$ 115 mil, o que reflete a atual política habitacional que vive o país devido, principalmente, ao programa Minha Casa, Minha Vida. Entretanto, no ano anterior, este percentual era de 51,5%. A pesquisa aponta, ainda, que o maior número de imóveis foi vendido no bairro Humaitá. De 192 dos imóveis ofertados no período, 112 foram vendidos, uma velocidade de vendas de 58,3%. A maior oferta de unidades está nos bairros Borgo (233) e Centro (232).


O estudo é resultado da coleta de informações junto a 221 empreendimentos – 69 empresas - com áreas superiores a 500 m². A expressiva participação é fruto do relacionamento existente entre a entidade e as empresas do setor, uma construção em permanente manutenção que depende da reciprocidade e comunicação entre ambos. A histórica adesão também destaca o trabalho de corpo a corpo desenvolvido pelo coordenador do censo, Rafael Panazzolo. “Somos 82 associados e conseguir a adesão de 69 empresas é motivo de orgulho e resultado de muito trabalho. Tenho certeza que esta pesquisa tem muito a contribuir para o desenvolvimento sustentável do setor no município”, destaca Diogo Parisotto, presidente da Ascon Vinhedos.


Rafael Panazzolo reforça a importância da pesquisa que oferece maior segurança na tomada de decisões tanto por parte dos construtores quanto dos consumidores. “O estudo apresenta a realidade vivida pelo setor. Os dados norteiam o planejamento das empresas que têm na ferramenta um grande aliado para um crescimento seguro e coerente com o mercado”, avalia.


A pesquisa levantou a disponibilidade de imóveis novos na cidade, considerando: tipos de unidades, área média, faixas de valor, características dos imóveis, fontes de recursos para a construção e o estágio das obras em comercialização. Obras industriais não entram no diagnóstico. O 15º Censo Imobiliário de Bento Gonçalves está disponível no site www.asconvinhedos.com.br. Cada associado receberá um exemplar da pesquisa.

Patrocinadores


Apoiadores

Índice INCC-M

Dezembro/2021 - N° Índice: 960,894

0,30

no mês

14,03

no ano

14,03

12 meses

Nós utilizamos cookies neste site para melhorar a sua experiência de navegação e nosso desempenho, analisar como você interage em nosso site ou ainda para personalizar conteúdos. Para mais informações, consulte nossa Política de Privacidade.

PROSSEGUIR